Ailton Graça e Vera Holtz se beijam após vencerem o 51º Festival de Cinema de Gramado

Publicado em

Aconteceu, dos dias 11 a 19 de agosto, a 51ª edição do Festival de Cinema de Gramado, uma das maiores competições do audiovisual brasileiro, responsável por premiar grandes produções nacionais e seus profissionais envolvidos, sejam atores, diretores, roteiristas e tantos profissionais que trabalham em longa-metragem. A atriz Emanuelle Araújo e o ator Orlando Caldeira, assim Manu do Monte, Jenifer Dias, Marcos Breda e Mariana Abascal, estiveram presentes.

Conforme o próprio site do evento, afirmou, a premiação “terminou em samba”, pois o grande vencedor da edição, com seis troféus Kikitos, foi “Mussum, O Filmis”, filme do diretor estreante Silvio Guindane, que entra em cartaz nas salas de cinema dia 2 de novembro e é estrelado por Ailton Graça.

Como o nome já diz, fala da trajetória de Mussum, um dos maiores comediantes brasileiros e grande membro do grupo de humor “Os Trapalhaões”, e recebeu estatuetas de melhor filme, melhor ator para Ailton Graça, melhor atriz coadjuvante para Neusa Borges, melhor ator coadjuvante para Yuri Marçal, melhor trilha musical e melhor filme pelo júri popular, além de uma menção honrosa.

<
Foto: Roberto Filho/Brazil News
Foto: Roberto Filho/Brazil News

EMOÇÃO DOS ENVOLVIDOS

“O cinema me salvou. A arte salva, o cinema salva, e hoje eu estou retornando a este Festival, e um dia eu fui ao circo, um dia eu li um livro, e um dia eu comecei a fazer cinema, ainda criança aqui neste Festival”, disse o diretor Silvio Guindane.

Mussunzinho, filho de Mussum, esteve presente, e afirmou ter certeza de que o pai estava com eles: “vocês retrataram de uma forma perfeita o velho (Mussum), e eu vou ter o maior prazer de daqui a alguns anos sentar com o meu filho e mostrar ele da forma mais aproximada que eu poderia mostrar”.

Ailton Graça se emocionou ao vencer: “Essa é a primeira vez que estou recebendo um prêmio, e isso começou quando eu era criança e minha mãe perguntou para mim e meu irmão o que queríamos ser. Eu disse carroceiro, advogado, engenheiro agrônomo, cientista, professor… e sendo ator eu posso ser tudo isso”.

OUTROS VENCEDORES GRANDES

Além de “Mussum, o Filmis”, o Festival de Gramado também premiou bastante outros dois longas, “Tia Virgínia” com cinco prêmios e “Mais Pesado é o Céu”, que levou quatro troféus. O documentário “Anhangabaú”, de Lufe Bollini, e o longa-metragem gaúcho “Hamlet”, de Zeca Brito, foram os melhores filmes em suas mostras, com o segundo levando estatuetas de melhor filme, melhor direção, melhor ator para Fredericco Restori, melhor fotografia e melhor montagem.

Vera Holtz, que ganhou por melhor atriz em “Tia Virgínia”, agradeceu pela oportunidade do papel aos diretores e produtores, Fábio Meira e Janaína Diniz: “Obrigada às minhas irmãs da ficção, Arlete Salles e Louise Cardoso, e às minhas irmãs, ReginaRosa Teresa, que já nos deixou, e quero deixar um poema de Mário Quintana, para vocês: ‘Os grilos…os grilos… Meus Deus, se a gente pudesse puxar por uma perna, um só Grilo, se desfiariam todas as estrelas!’”

<

Aliás, um momento que chamou bastante atenção foi que, após serem os grandes vencedores de melhor ator e atriz, Ailton Graça e Vera Holtz se beijaram como forma de comemorar a vitória e celebrar o troféu um do outro, sendo ovacionados pela plateia da premiação.

Léa Garcia, que morreu nos últimos dias, recebeu uma homenagem mais que especial por sua contribuição para as artes nacionais, aparecendo na lembrança do “in memorian”, momento em que se homenageiam os artistas que morreram no último ano, sendo aplaudida de pé pelo público presente.

CONFIRA TODOS OS VENCEDORES DO 51º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO

LONGA-METRAGENS BRASILEIROS

  • Melhor Filme: “Mussum, O Filmis”, de Silvio Guindane
  • Melhor direção: Petrus Cariry, por “Mais Pesado é o Céu”
  • Melhor ator: Aílton Graça, por “Mussum, O Filmis”
  • Melhor atriz: Vera Holtz, por “Tia Virgínia”
  • Melhor Roteiro: Fábio Meira, por “Tia Virgínia”
  • Melhor Fotografia: Petrus Cariry, por “Mais Pesado é o Céu”
  • Melhor Montagem: Firmino Holanda e Petrus Cariry, por “Mais Pesado é o Céu”
  • Melhor Trilha Musical: Max de Castro, por “Mussum, O Filmis”
  • Melhor Direção de Arte: Ana Mara Abreu, por “Tia Virgínia”
  • Melhor Atriz Coadjuvante: Neusa Borges, por “Mussum, O Filmis”
  • Melhor Ator Coadjuvante: Yuri Marçal, “Mussum, O Filmis”
  • Melhor Desenho de Som: Rubem Valdés, por “Tia Virgínia”
  • Prêmio especial do júri: Ana Luiza Rios de “Mais Pesado é o Céu”
  • Menção Honrosa: Vera Valdez, por “Tia Virgínia”
  • Menção Honrosa: Martin Macias Trujillo, por “Mussum, O Filmis”
  • Júri da Crítica: “Tia Vírginia”, de Fábio Meira
  • Júri Popular: “Mussum, O Filmis”, de Silvio Guindane

PRÊMIO SEDAC/IECINE DE LONGAS-METRAGENS GAÚCHOS

  • Melhor filme: “Hamlet”, de Zeca Brito
  • Melhor direção: Zeca Brito, por “Hamlet”
  • Melhor ator: Fredericco Restori, por “Hamlet”
  • Melhor atriz: Carol Martins, por “O Acidente”
  • Melhor roteiro: Marcelo Ilha Bordin e Bruno Carboni, de “O Acidente”
  • Melhor fotografia: Bruno Polidoro, Joba Migliorin, Lívia Pasqual e Zeca Brito, por “Hamlet”
  • Melhor direção de arte: Richard Tavares, de “O Acidente”
  • Melhor montagem: Jardel Machado Hermes, de “Hamlet”
  • Melhor Desenho de Som: Kiko Ferraz, Ricardo Costa e Cristian Vaz, por “Céu Aberto”
  • Melhor trilha Musical: Rita Zart e Bruno Mad, por “Céu Aberto”
  • Júri Popular: “Sobreviventes do Pampa”, de Rogério Rodrigues

 

 

Foto: Roberto Filho/Brazil News

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga o EGOBrazil no Google Noticias ou EGOBrazil no Instagram.

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© 2023 EGOBrazil | A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Famosos

Últimas Notícias

Leia Mais

<