Alerta: Jovens atletas também são sujeitos a problemas cardíacos

Publicado em

Esporte é uma das formas de manter vida saudável, mas não um atestado de imunidade

Um alerta que tem como origem o impacto dos flagrantes de mal súbito envolvendo atletas pelo mundo afora. Apesar de ser uma forma de adquirir e preservar a saúde, o esporte – assim como a juventude – não é um atestado de imunidade aos riscos cardíacos.

Uma vida ativa, com prática frequentes de exercícios físicos, é um dos fatores de proteção contra a doença, principalmente quando se refere a doenças cardíacas.

Apesar de ser fortemente recomendado pelos médicos, o check-up regular não tem o poder de prever e evitar 100% dos eventos cardiovasculares, mesmo naqueles esportistas que mantém uma rotina pesada de treinos e acompanhamento médico rigoroso.

Dr. Heron Rached, médico cardiologista, ressalta que existem algumas condições que podem levar à morte súbita, além do infarto do miocárdio, durante as atividades em jovens aparentemente saudáveis.

Dr. Heron Rached - Crédito Da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal

O infarto agudo do miocárdio tendo a doença aterosclerótica – depósito de gordura no interior das artérias – em pacientes abaixo de 45 anos é mais frequente naqueles grupos onde o diabetes, colesterol alto, obesidade, hipertensão arterial e tabagismo estão presentes. Entretanto, alguns pacientes nascem com má formação congênita das coronárias e quando são submetidos às atividades físicas extremamente extenuantes, essas artérias coronárias sofrem compressão extrínseca de outras artérias levando a interrupção na passagem de sangue para o músculo do coração podendo ser outra causa de infarto do miocárdio ou morte súbita. Mas quando se fala de morte súbita não podemos esquecer das arritmias e, também, as cardiomiopatias que são doenças que acometem diretamente o músculo do coração.

O esforço além do limite do corpo também pode ser prejudicial mesmo quando o jovem é aparentemente saudável. O coração é um músculo e como qualquer outro músculo do corpo também sofre com excesso de carga.

“O atleta geralmente trabalha em nível máximo, com a adrenalina extremamente elevada, e essa substância pode ser responsável por espasmos das artérias coronárias ou arritmias causando o infarto e até mesmo a morte súbita, afirma Dr Rached.

Durante a pandemia por covid 19 observamos o aumento na incidência de infarto do miocárdio em todas as faixas etárias, sobretudo na faixa mais jovens.

Dr. Heron Rached - Crédito Da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal

Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil, a cada dois minutos morre uma pessoa devido a uma enfermidade cardiovascular. A situação se agrava, pois, poucas pessoas sabem reconhecer os sintomas de um infarto – cerca de 2% dos brasileiros. Estilo de vida, sedentarismo, tabagismo, estresse, hipertensão arterial e diabetes formam o pacote dos principais fatores causadores da doença.

Dores e sensação de aperto no peito, falta de ar, fadiga e náusea. Esses e outros sintomas, de acordo com Dr. Heron, são fortes indicações de que uma pessoa pode estar sofrendo de infarto. Mas cerca de metade deles são silenciosos, ou seja, não apresentam qualquer sinal.

Pessoas que apresentam histórico familiar ou fatores de risco devem visitar o médico mais cedo”, recomenda Dr. Rached que aproveita para deixas algumas dicas :

* Pratique atividade física
* Dê mais atenção às suas necessidades pessoais
* Evite o estresse no trabalho
* Alimente-se com calma
* Mantenha os índices de colesterol e a pressão arterial sob controle
* Abandone hábitos prejudiciais, como excesso de bebidas alcoólicas e cigarro.

Heron Rhydan Saad Rached é médico Cardiologista e Radiologista, com doutorado pela USP – Universidade de São Paulo e 32 anos de atuação na área.Dr. Heron Rached - Crédito Da Foto: Acervo Pessoal

DR. HERON RACHED – CARDIOLOGISTA

Heron Rhydan Saad Rached é médico, tem 32 anos de exercício profissional na área de Cardiologia.  Nasceu em 1965 na cidade de Campina Grande, na Paraíba, tendo cursado Medicina na Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, concluindo o seu curso em 1990. Posteriormente, com o objetivo de complementar sua formação médica num centro maior, mudou-se para a cidade de São Paulo, onde está radicado desde 1993.  Em São Paulo, fez inicialmente a residência médica na área de Cardiologia no hospital da Real e Benemérita Sociedade Portuguesa de Beneficência. Aprofundando seus conhecimentos na Cardiologia, absorveu sua especialização em ecocardiografia e ressonância magnética cardiovascular, no instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP (Incor-FMUSP), onde também realizou o doutorado. Expandiu sua formação no exterior com um estágio em ecocardiografia na Universidade do Alabama em Birmingham nos Estados Unidos da América.

Seu espectro de atuação na Cardiologia é amplo e vai desde o atendimento direto do paciente em sua renomada clínica privada à sua contribuição com desenvolvimento da saúde na cidade de São Paulo, tendo implementado um modelo de verticalização da saúde suplementar que facilita o acesso à saúde a grande parte da população paulistana. Implantou na capital paulista o primeiro modelo de «homecare» (cuidado domiciliar) para pacientes de alta complexidade.

No plano administrative foi coordenador do setor de Cardiologia do grupo Prevent Senior (1997-2009) e atualmente é coordenador do núcleo de Cardiologia e Pneumologia dos Hospitais Leforte, função que exerce desde 2011. Tem atuado na área de pesquisa e produção científica, sendo editor e co- autor de 3 livros na área de cardio-oncologia, autor e co-autor de diversas publicações científicas nacionais e internacionais, e participante ativo em congressos de cardiologia, não apenas no Brasil como no exterior. Nos últimos anos tem-se dedicado ao estudo do envelhecimento populacional em busca de um modelo que promova o equilíbrio sustentável de saúde e bem-estar da população idosa.

Sua contribuição para o desenvolvimento da saúde na cidade de São Paulo é valiosa, o que justificou o decreto legislativo do vereador Adilson Amadeu, no sentido de conferir ao Dr. Heron Rached o título honorífico de Cidadão Paulistano, o que se dará em uma sessão solene a ser realizada na Câmara Municipal de São Paulo no dia 12 de Agosto de 2022. Essa merecida homenagem enche de alegria e orgulho o coração dos paraibanos, especialmente dos campinenses por se sentirem representados na Cardiologia de São Paulo.

Dr. Heron Rached - Crédito Da Foto: Acervo Pessoal
Dr. Heron Rached – Crédito da Foto: Acervo Pessoal

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga o EGOBrazil no Google Noticias ou EGOBrazil no Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal ou mesmo do Portal iG.

A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Famosos

Últimas Notícias

Leia Mais

<