Caetano Veloso impõe silêncio para “Transa” em segundo dia do Festival de Verão

Publicado em

Transa no Festival de Verão de Salvador poderia ter sido o show no lugar certo – afinal, Caetano Veloso criou o lendário disco depois de uma rápida visita à Bahia durante seu exilio em Londres -, mas no horário errado.

Caetano entrou no palco do Festival por volta das 0h30. Logo após o apoteótico show de Leo Santana, o rei do pagodão baiano.

O disco Transa é oposto do clima de festa de Santana. É introspectivo, nostálgico e roça na melancolia.

<

Mas Caetano é Caetano. Sobretudo na sua Bahia. Impôs o ‘silêncio’ necessário para que o festival ouvisse músicas como You don’t know me, Maria Bethânia e It’s a long way. Todas as músicas do roteiro foram cantadas pelo público. Até mesmo The Empty Boat, que nem de Transa é.

Caetano seguiu à risca o roteiro que havia apresentado no Rio de Janeiro e em São Paulo. Resistiu à tentação de incluir qualquer um de seus sucessos para agradar um público de um festival que, no mesmo dia, assistiu a apresentações de Glória Groove e Thiaguinho.

Foto: Duane Carvalho/ Divulgação
Foto: Duane Carvalho/ Divulgação

Embora seja simbólico ver Caetano relembrar Transa. Também pela presença de músicos que tocaram na gravação do LP em 1972, Jards Macalé, Tutty Moreno e Aureo de Souza – o baixista Moacyr Albuquerque morreu em 2020.

No entanto, o show Transa, que Caetano havia jurado que não faria mais – ele foi concebido para uma única apresentação no festival Doce Maravilha, em 2023 – parece não agradar ou alegrar tanto Caetano. Por isso, exita em transformá-lo em turnê. Caetano tem lá suas razões.

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga o EGOBrazil no Google Noticias ou EGOBrazil no Instagram.

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© 2023 EGOBrazil | A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Famosos

Últimas Notícias

Leia Mais

<