Isabella Rovo e Camerata Caipira do coração do Brasil para o outro lado do mundo

Publicado em

Artistas levarão ritmos brasileiros para a Nova Zelândia

Isabella Rovo e Camerata Caipira, vão levar a diversidade musical brasileira para a Nova Zelândia. Em março, participarão do Festival Cuba Dupa em Wellington com apoio do edital de intercâmbio cultural nº 1 do Ministério da Cultura e da Lei Paulo Gustavo de Goiás. Os artistas têm shows agendados nas cidades de Auckland, Tauranga, New Plymouth e Wellington, espalhando o colorido, a diversidade e o balanço genuinamente brasileiros em diversos eventos para todas as idades.

Formado por Isabella Rovo (voz e percussão), Victor Batista (viola caipira), Nelson Latif (violão 7 cordas e cavaquinho), Edson Arcanjo (violão) e Sandro Alves (percussão), a Camerata Caipira apresenta um leque de ritmos tradicionais da cultura popular brasileira, emoldurados por uma versão contemporânea por meio de arranjos para cordas, vozes e percussão. Do Nordeste, o grupo toca coco, xote, samba de roda e frevo. Do Norte, as toadas do boi e a sedução do carimbó. Dos campos do Sul, o bailão popular. Do Sudeste, o choro. Do Brasil Central, os cantos de mutirão, pagode de viola e congadas. Utilizando-se da viola caipira, cavaquinho, violões de 6 e 7 cordas e percussões, a Camerata Caipira vem provar que é perfeitamente possível amar o melhor da música tradicional e simultaneamente abrir-se a invenções, em uma experimentação sonora que revela a diversidade musical brasileira no sotaque de cada um de seus integrantes.

Isabella Rovo, morou na Nova Zelândia por dois anos, quando realizou um intenso trabalho de divulgação de manifestações tradicionais brasileiras com a banda Brazealand, formada por músicos dos dois países. Em seu retorno ao Brasil, em 2011, Isabella fundou a Camerata Caipira com a qual já realizou turnês por países como Austrália, Chile, Portugal, Holanda e a própria Nova Zelândia, onde, em 2013, participou do Festival WOMAD.

Foto: Davy Placido
Foto: Davy Placido

Sobre a Camerata Caipira

O grupo foi formado no fim de 2011 e logo no ano seguinte participou do Festival Canto da Primavera em Pirenópolis (Goiás) e realizou turnê pelo Chile. Em 2013 esteve pela primeira vez na Nova Zelândia, apresentando-se no Festival WOMAD, na cidade de New Plymouth, e participando de uma série de eventos na capital do país, como os shows para a Embaixada do Brasil no Teatro Downstage, na Festa Brasil no San Francisco Bath House, no Espaço Cultural Southern Cross e no Festival Aro Valley.
O primeiro álbum do grupo foi gravado em 2014, com apoio do Fundo de Arte e Cultura do DF, o que possibilitou a divulgação do trabalho na Virada Cultural Paulista, em turnê pela Austrália apresentando-se no Brazilian Day em Sydney, além de shows em festivais pelo Brasil e no Clube do Choro de Brasília, onde apresentou-se por 6 anos consecutivos.

Em 2016, a Camerata Caipira foi para a Europa com o projeto Sons do Patrimônio Além-mar. Em Portugal, participou do Festival “O Baião Vai” em Lisboa e na Holanda apresentou-se no Teatro Munganga em Amsterdam.

O segundo CD, “Cadê o Bicho que tava aqui?” – com 12 canções voltadas para o público infantil – foi gravado em 2018 e tornou-se a fagulha criativa que deu origem a uma grande coletânea sobre animais brasileiros ameaçados de extinção. De lá pra cá, a série ganhou videoclipes com desenho animado e mais 12 faixas inéditas lançadas em formato digital. O álbum foi indicado como finalista do Prêmio Profissionais da Música nas categorias Infantil e Cultura Popular em 2019 e o videoclipe “Corre Calango” foi contemplado com o Prêmio Funarte Respirarte em 2020.

Inspirado pelo tema, em 2023, o grupo produziu o espetáculo cênico-musical “Cadê o Bicho?”, dirigido por Andrea Jabor, fazendo um mergulho sonoro, visual e poético pelos encantos do Cerrado. O espetáculo vem sendo apresentado em diversas escolas públicas e em teatros do DF e agora atravessa o planeta para levar os bichos brasileiros à Oceania.

Isabella Rovo

Formada em Educação Artística pela UnB, Isabella Rovo atua com música, produção cultural, literatura de cordel, educação e cultura popular. A cantora assimila a pluralidade do sotaque cultural de Brasília com atuação nas áreas da música, artes plásticas, educação e pesquisa da cultura popular brasileira.
Isabella integra e produz o grupo musical feminino Zabumba de Chita e em 2021, lançou seu primeiro trabalho autoral, “Em solo”, com uma série de singles e videoclipes, disponíveis em todas as plataformas digitais. O repertório é composto por canções espirituosas e cheias de brasilidade com samba, carimbó, forró, poemas e outras malemolências. Para divulgação deste trabalho na Nova Zelândia, Isabella conta com apoio do edital Circula Goiás – Difusão da Arte e Cultura Goiana da Lei Federal Paulo Gustavo.

Victor Batista

Compositor, violeiro, cantor, pesquisador, produtor musical e contador de histórias. Victor Batista trabalha com arte-educação e possui três álbuns autorais: “Além da Serra do Curral”, “Manchete do tico-tico” e “Coração caminhador”.

Nelson Latif

Músico, sociólogo e gestor cultural, trabalhou por 27 anos na instituição holandesa Uit de Kust, coordenando oficinas de percussão e de música brasileira para estudantes europeus. O músico dedica sua carreira especialmente à música instrumental brasileira e é um dos integrantes do Trio Baru e de outros projetos culturais.

Sandro Alves

Iniciou sua carreira musical aos dez anos tocando em rodas de samba. Aos 14, já integrava a bateria da Escola de Samba G.R.E.S. Tradição no Rio de Janeiro. Hoje, radicado em Brasília, trabalha com vários nomes do cenário musical brasiliense fazendo produções de CDs, DVDs e trilhas sonora para filmes. É um dos integrantes do Trio Baru e de outros projetos culturais.

Edson Arcanjo
Violonista, guitarrista, produtor musical, educador musical, diretor musical, mestre em Música pela Universidade de Brasília.

A turnê na Nova Zelândia

O grupo conta, para realizar esta turnê, com apoio de dois importantes editais. O Camerata Caipira tem apoio do edital de intercâmbio cultural n° 1 do Ministério da Cultura (selecionado na primeira edição do edital, sendo um dos dois grupos representantes do Centro-Oeste), e Isabella, com apoio do edital Circula Goiás – Difusão da Arte e Cultura Goiana da Lei Federal Paulo Gustavo.

AUCKLAND
Dia 8/3 – Festa Brasil – Ponsonby Social Club. Participação do percussionista brasileiro Taciano Milfont, que mora na Nova Zelândia,
Dia 9/3 – Carnaval dos Bichos – Grupo Brasilerinhos
No salão do Mt. Eden War Memorial

TAURANGA
Dia 10/3 – Festa Brasil – Totara St.
Com Isabella Rovo, Camerata Caipira, DJ DaLua, Ed Rizzi e Fohobodo
Dia 11/3 – Show infantil “Cadê o Bicho?” – Tahatai School

NEW PLYMOUTH
Dia 14/3 –– The Good Home.
Participação do violinista brasileiro Wellington Silva, que mora na Nova Zelândia.

WELLINGTON
Dia 21 – workshop e jam session com o Clube do Choro de Wellington
Dia 23
Isabella Rovo e Camerara Caipira – Festival Cuba Dupa
CARNIVAL CENTRAL – The Cross
Camerata Caipira, Fohobodo, Brazza, Zamba Flam

Acompanhe a programação detalhadas nas redes oficiais do grupo. @cameratacaipira

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga o EGOBrazil no Google Noticias ou EGOBrazil no Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal ou mesmo do Portal iG.

A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Famosos

Últimas Notícias

Leia Mais

<