Pedro Bial acusa Meta de cumplicidade em deepfake de remédio contra calvície

Publicado em

Pedro Bial, 65, está revoltado com o uso inautorizado de sua imagem em uma propaganda de remédio contra calvície na internet.

Trata-se de um deepfake, um simulacro feito por inteligência artificial que reproduz a voz e o rosto do apresentador em um vídeo, como se tivesse sido gravado por ele.

Bial postou um vídeo em suas redes sociais em que afirma que já denunciou a propaganda várias vezes ao Instagram, porém sem resultado. Ele também diz que está processando a empresa vendedora do falso remédio.

<

“Sigo os passos lentos dos processos jurídicos enquanto, na internet, a coisa só piora, se alastrando”, lamenta Bial. “A fraude não é nem tão bem feita, mas é o suficiente para enganar muita gente”, afirma o apresentador.

“Portanto acuso de cumplicidade nesse crime de falsificação, fraude e charlatanismo a Meta, empresa dona do Instagram e do Facebook”, diz o jornalista.

Pedro Bial
Pedro Bial

“Para um crime se realizar, precisa de três fatores: a motivação para praticá-lo, os meios e as oportunidades para tal. Se a motivação é dos mercadores do falso remédio, o meio e as oportunidades são oferecidas pela Meta, que ainda lucra, ganha grana com esse golpe”, prossegue Bial.

Ele também cita o exemplo de Dráuzio Varella, que já foi vítima de várias deepfakes do tipo, comercializando falsos medicamentos para tratar a calvície e até para emagrecer.

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga o EGOBrazil no Google Noticias ou EGOBrazil no Instagram.

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© 2023 EGOBrazil | A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Famosos

Últimas Notícias

Leia Mais

<