Intérprete Grazzi Brasil exalta mulheres sambistas em show do projeto “O Carnaval da Brasil”

Publicado em

O público apaixonado por samba e pelo Carnaval vai poder curtir um esquenta especial já no feriado do Carnaval, no final de fevereiro e em todos os finais de semana do mês de março. Mesmo com o adiamento dos desfiles das escolas de samba e o cancelamento dos blocos de rua, a cantora sambista Grazzi Brasil vai promover uma série de quatro apresentações do “O Carnaval da Brasil” com a participação de cantoras que fizeram e ainda estão fazendo história no cenário musical como: Jéssica Américo, Graça Braga e a querida “Tulipa do Samba”, Bernadete. Além delas, se apresentam também as percussionistas Camila Alcântara, integrante do grupo de samba Feitiço de Mulher, Jady Silva, ritmista da Pegada de Macaco, da escola de samba Vai- Vai, Rafaella Rocha Azevedo, mestre da bateria Swing da Paulicéia, da escola Imperatriz da Paulicéia, entre outras. Todo projeto é gratuito e tem o apoio cultural da lei de incentivo do Proac.

Na música, em especial no segmento do samba e do Carnaval que, historicamente sempre foram estilos musicais liderados e ocupados por homens, tanto escrevendo e assinando composições, quanto na interpretação e também no ritmo e na percussão, as mulheres sempre enfrentaram dificuldades e barreiras para ter a chance de mostrar a sua arte, sempre batalhou para conquistar um espaço e luta diariamente para ganhar reconhecimento e respeito dos artistas, dos sambistas, do público e então, finalmente, poder trabalhar e viver de música.

Inspirada em sua própria experiência e nas histórias de suas antecessoras Bernadete, cantora da Unidos do Peruche e Eliana de Lima, que foi intérprete da Leandro de Itaquera e também da “Filial do Samba”, a cantora elaborou esse projeto com a intenção de valorizar as mulheres, enaltecer seus talentos, para que isso também chame a atenção das escolas de samba para que as acolham como elas merecem e deem novas oportunidades. Hoje, Grazzi Brasil é a única mulher que é voz oficial no carro de som do Carnaval de São Paulo pela Estrela do Terceiro Milênio e na Paraíso de Tuiuti no Rio de Janeiro, todas as demais cantoras fazem parte do time de canto (coral de apoio ao intérprete principal).

<

Vamos apresentar um grande espetáculo de samba e carnaval, com hits, sambas antológicos e relembrar desfiles inesquecíveis, através do talento de mulheres mais que geniais, de artistas expoentes na voz e no ritmo que vão impactar o público e fazer todo mundo cair na folia”, explica a cantora e compositora Grazzi Brasil, que também idealizou o evento. “O Carnaval da Brasil” vai valorizar, dar visibilidade às mulheres do cenário carnavalesco e fortalecer o papel delas como artistas, lideranças, formadoras de opinião e representantes em suas comunidades. Grazzi segue à risca a máxima: lugar de mulher é onde ela quiser.

Para abrilhantar mais ainda mais os shows e dar luz a outras pessoas que ainda sofrem preconceito e discriminação, a cantora convidou dançarinas da Cantho Club, tradicional balada LGBTQIA+ do Largo do Arouche, para formar a corte de rainha, princesas e musas do seu carnaval.

Projeto “Carnaval da Brasil”

Além dos cinco shows, todos presenciais, o evento ainda terá dois seminários online sobre a atual situação das mulheres no ambiente carnavalesco de São Paulo, com a presença de mulheres que compõe as baterias de escolas de samba e das alas de compositores e duas vídeo-aulas de ritmo ministradas por mulheres ritmistas provando para o público geral, para as comunidades que a mulher está em todos os departamentos que formam uma agremiação, não somente como costureiras, cozinheiras, passistas, rainhas e musas das baterias. “Queremos mostrar que somos múltiplas, que podemos atuar em vários setores com competência e dedicação. Mas para isso precisamos de oportunidades. Além disso, vamos promover o debate da importância da figura feminina nas escolas de samba e estimular outras mulheres a serem ritmistas e intérpretes. Assim, talvez, as agremiações possam possibilitar a essas mulheres um espaço e reconhecimento justo e merecido”, explica Grazzi, que esse ano assinou sua primeira composição de samba-enredo após ser convidada pela parceria de Rodrigo Oliveira, compositor multicampeão da folia paulistana. A canção venceu o concurso e será trilha do desfile “O Abre Alas Que Elas Vão Passar”, da escola de samba Estrela do Terceiro Milênio.

Grazzi Brasil

<

Neta de um grande violonista, cresceu embalada pelas canções de Elis Regina, Chico Buarque, Tom Jobim, Tim Maia e Jorge Ben. Aos 16 anos, impulsionada pela maternidade precoce sentiu a necessidade de fazer seu sonho de ser cantora dar certo. E assim mergulhou de cabeça na música.

Na minha vida, nada foi fácil! Suei muito até obter o apoio e o reconhecimento de todos. Afinal de contas, solteira, via minha mãe sendo ‘pai’ da minha filha e dizendo: você não pode cantar! Tem que trabalhar!”, relembra a artista. Assim, Grazzi estreou como vocal da banda de samba-rock “Blackzuka” e depois como backing vocal do grupo “Pixote”.

Participou de concursos de programas como Astros do SBT, e Ídolos da TV Record e The Voice Brasil. No outro lado do mundo, no Japão, cantou em dezenas de rodas de samba e participou da tradicional Virada Cultural de São Paulo. Foi protagonista de tributos à sambistas como Clara Nunes, Clementina de Jesus, Dona Ivone Lara, Jovelina Pérola Negra e Candeia, dentre muitos outros.

Convidada em 2017 pelo músico, compositor e produtor musical, Marcelo Casa Nossa, se destacou nas eliminatórias de samba-enredo da escola de samba Vai-Vai defendendo a obra que seria um dos ícones da atualidade do Carnaval de São Paulo “No Xirê do Anhembi, a Oxum mais bonita surgiu. Menininha, mãe da Bahia, Ialorixá do Brasil“.

Após a parceria vencer o concurso, a agremiação convidou Grazzi para assumir o microfone oficial da agremiação da Bela Vista. Foram 14 anos sem que uma mulher assumisse os microfones oficiais de uma agremiação desde quando Eliana de Lima deixou a Unidos do Peruche em 2003.

A partir disso sua carreira como intérprete de samba-enredo deslanchou e Grazzi foi estrear na Sapucaí com a escola de samba Paraíso do Tuiuti e no ano seguinte, em 2020, assumiu o carro de som da carioca São Clemente. Este ano, a cantora está de volta à Paraíso do Tuiuti e estreia na Estrela do Terceiro Milênio, no grupo de acesso 1 da Liga das Escolas de Samba de São Paulo.

Carreira

2012 – “Nas Cordas de um Cavaquinho” – primeiro álbum

Vocalista da banda de samba – rock “Blackzuka”

Backing vocal da banda “Pixote”

2017- 2019 – Intérprete Oficial do G.R.C.E.S. Vai Vai

2018 – 2019 – Intérprete do G.R.E.S. Paraíso do Tuiuti

2020 – intérprete oficial do G.R.E.S. São clemente- RJ

2021 – intérprete oficial da Estrela do Terceiro Milênio

Atriz no elenco do musical CARTOLA “O MUNDO É UM MOINHO”

Participante do Programa THE VOICE BRASIL – Rede Globo

Participante Finalista do Programa Ídolos – Rede Record

Participou da Orquestra Jazz Sinfônica do Brasil (SP)

Programação

*Todos os shows são gratuitos

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso

DATA: 26 de fevereiro

HORÁRIO: 20h

TEATRO ARTHUR AZEVEDO

Avenida Paes de Barros, 955 , Mooca

DATA: 11 de março

HORÁRIO: às 21h

TEATRO JOÃO CAETANO

Rua Borges Lagoa, 650, Vila Clementino

DATA: 18 de março

HORÁRIO: às 21h

TEATRO ALFREDO MESQUITA

Avenida Santos Dumont, 1770, Santana

DATA: 25 de março

HORÁRIO: às 21h

Assessoria de imprensa Lara Schulze  – 9 49861313

Fique por dentro!

Para ficar por dentro de tudo sobre o universo dos famosos e do entretenimento siga o EGOBrazil no Google Noticias ou EGOBrazil no Instagram.

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© 2023 EGOBrazil | A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.

Famosos

Últimas Notícias

Leia Mais

<